Carregando

Embu discute arte com alunos e educadores

Secretaria:
Educação
Rita de Biaggio
18/04/2006 00:00
"É incrível perceber que aqueles que têm maior dificuldade na aprendizagem são os mais habilidosos, ficam mais concentrados e expressam melhor sua sensibilidade". O depoimento da professora Maria Lucia Souza Santos, do 1 ª ano do ciclo dois do Ensino Fundamental da Escola Jornalista José Ramos, emocionou quem estava presente e confirmou a importância do projeto Mãos Artesãs que, de 17 de março a 10 de junho, contemplará 3.500 alunos e 1.200 educadores entre professores, agentes escolares, supervisores, inspetores, agentes culturais e de desenvolvimento infantil da rede municipal de ensino. Embu das Artes foi escolhida para iniciar o projeto, juntamente com a cidade de Hortolândia, que tem verba do Governo Federal (via Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação-FNDE) e parceria do Instituto Tomie Ohtake de arte e cultura com a Prefeitura de Embu.

Para a Secretária Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Rosimary Matos, o projeto torna possível concretizar a construção de uma escola com qualidade social em que os cidadãos ocupam seus espaços. "E eles só podem assumir este papel quando têm consciência do que são. Ajudar neste entendimento é uma das missões da escola. Demoraremos a atingir essa qualidade social se não realizarmos experiências como esta", afirmou.

"Estamos realizando hoje um grande sonho, que é o de trabalhar as múltiplas linguagens na escola. Um sonho que se completa ao podermos incluir os nossos artistas e artesãos no processo", explica Elaine Baron, coordenadora do Núcleo Arte da Secretaria Municipal de Educação, lançado no dia 3 de fevereiro, durante o Projeto Férias na Escola, com a peça de teatro infantil A bruxinha que era boa, produzida por funcionários das escolas e alunos, coordenada pela professora Elaine.

Participam das oficinas Tônia de Embu, com cerâmica e terracota; o percussionista Caçapava, na oficina de construção de instrumentos musicais e o escultor Agenov, com o trabalho em pedra sabão. A oficina Brinquedos e Brincadeiras é desenvolvida pela estudiosa da cultura da criança, Lucilene Ferreira.

Para a Agente de Desenvolvimento Infantil (ADI) Neide dos Santos, da EMEI Vista Alegre, a oficina é uma oportunidade de formação diferenciada, de trazer a arte e a beleza para dentro da escola. "Eu utilizo a argila com meus alunos, é muito bom. Mas eu mesmo nunca tive a oportunidade de desenvolver minhas habilidades", conta alisando o barro que dá forma a uma linda mulher. Segundo ela, ao mexer com a argila, as crianças ficam mais calmas, concentradas e receptivas ao aprendizado.

"Queremos ir além e divulgar o trabalho artesão dentro da escola e da comunidade para que as crianças valorizem a atividade produtiva por meio da criação, que também pode ser uma forma de ganhar dinheiro", acrescenta Josca Baroukh, coordenadora do projeto Mãos Artesãs, que terá a duração de dois anos e percorrerá várias escolas do Estado de São Paulo.

As próximas oficinas com alunos será na sexta-feira, dia 24/3, na Escola Municipal Iodoque Rosa (R. Marquês de Pombal, 50 - Engenho Velho - Tel.: 4704-4415 - Embu das Artes). As aulas com os educadores serão sempre aos sábados, das 9h às 12h, na Escola Municipal Paulo Freire (Estr. de Itapecerica a Campo Limpo, 1.904 - Jd. Sta. Emília - Tels: 4244-2777 ou 4149-8373).



DESTAQUE

NEWSLETTER

PRAÇAS DE ATENDIMENTO

Centro
Santa Tereza
Santo Eduardo


Eficiência e qualidade na prestação de serviços: abertura de empresa, emissão de certidões, parcelamento de débitos, escrituração fiscal e outros
Prefeitura de Embu das Artes - Sec. de Gestão Tecnológica e Comunicação
Rua Andronico dos Prazeres Gonçalves, 114 - Centro Estado de São Paulo - Brasil CEP: 06803-900 PABX: +55 (11) 4785-3500 Disque Serviços: 0800 773 0005